quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Uma reflexão em torno da mudança



Cartão retirado da internet e ilustra bem o nosso momento no CEM 01

Escrevi o texto abaixo em 25/11/08 como tarefa de um curso de Integração de Mídias na Educação. Serve para ilustrar o momento que estamos vivendo em nossa escola: a mudança,a transformação, a cara nova que a escola tem hoje, após o mutirão da limpeza.A mudança também surge como reflexão da nossa prática pedagógica.Portanto, essa mudança ocorre externa como internamente.Pense nisso e seja o agente transformador de sua vida pessoal ou profissional.Reflita sobre seu papel na atual conjuntura e desfaça-se dessa armadura que hoje você traz nos ombros.Lembre-se que se depojar-se dela, sua vida será bem mais leve e você conseguirá respirar mais tranqüilo.




A MUDANÇA EM MIM
Mudam os tempos. Mudam os fatos. Mudam as formas de amar. Mudam os homens. Mudam as leis. Mudam os caminhos. Mudam as nuvens. Mudam os anseios. Mudam os objetivos. Mudam os planos.

Só eu que não mudei. Na minha forma conservadora de segurar o tempo, vivo na solidão de mim mesmo. Dentro de mim construí um mundo virtual, onde pairam o giz, o quadro, o apagador, o conteúdo, a nota, a caneta vermelha, o ditado, as aulas de análise sintática e morfológica do Hino Nacional Brasileiro. Os alunos são os velhos bonecos manipulados por meus conteúdos extensos. Minhas provas ainda são as mesmas de anos atrás ,cujas questões aparecem desbotadas numa folha dobrada e amarelada pelo tempo.

Disciplina rima com palmatória, ordem, rispidez; castigos ligados à rigidez de conceitos arraigados ao longo do tempo. Percebo que tudo que aprendi nas páginas amareladas dos cadernos escolares de Pedagogia serve de consolo. Tudo representa o resgate de aulas de meus velhos professores do Curso Clássico. Onde estão aqueles alunos perfilados e obedientes? Onde estão minhas aulas no quadro-negro? Onde estão os bedéis nos corredores cheirando a mofo?Onde estão os livros de Admissão ao Ginásio ou Livros Preparatórios para o Curso de Admissão?Onde estão as tabuadas? Onde estão as cartilhas e caligrafias?

Todos se perderam na linha do tempo. Já não percebo mais o vigor dos anos dourados. Os alunos são outros; o quadro se transformou na lousa interativa. O email são as velhas cartas que eu escrevia. O caderno perdeu lugar para as telas do computador. Os livros se coloriram e ficaram mais atrativos.Preciso de tempo para operar em mim esta mudança que ora se inicia.
Passa o tempo e começam as velhas reflexões. Aonde vou? Que nível de aula é esse?Que está havendo com esses alunos desinteressados? Que notas horríveis?Como escrevem errado!Qual a razão para dormirem em minhas aulas?Por que saíram e não ficaram até o tempo final?Por que “matam” as aulas?

Devo me inserir nessa nova perspectiva senão feneço. Devo me adaptar à nova realidade. Devo me conscientizar que ainda posso fazer muito por quem está sequioso de saber. Usarei, de agora em diante, meu conservadorismo como referência. Vivo feliz porque percebi, a tempo, que posso ser o norte para aqueles que ainda estão como outrora eu estivera. Quero agora ser o agente de mudança. Sinto que se operou a mudança e agora seguirei um caminho sem volta. Vou em frente e levarei comigo os alunos para uma grande aula de companheirismo e ajuda mútua. Meu limite é o infinito.


Texto escrito em 25/11/2008
Ivanildes Fasoyin

Nenhum comentário: